Saiba como o compliance pode ajudar no seu negócio

Programa gera mais credibilidade para empresas, atrai novos investidores e amplia as chances em obtenção de crédito

 

Muito se ouve sobre compliance, mas o termo ainda não está muito claro para alguns empresários, mesmo o programa sendo adotado no Brasil desde meados de 1990. Criado na década de 1970, o compliance surgiu com o Federal Reserve, o Banco Central dos Estados Unidos, e com a criação da lei anticorrupção transnacional. Na época, foi descoberto um esquema de corrupção que envolvia empresas privadas e governos. O escândalo fez com que as companhias - não apenas as envolvidas nos esquemas - adotassem práticas de compliance para melhorar a imagem e criar um ambiente financeiro mais flexível, seguro e estável.

 

No Brasil, ele surgiu em 1992, quando o país abriu o mercado para empresas internacionais. Mas foi em 2014, com a criação da lei anticorrupção e a descoberta de esquemas de corrupção envolvendo empresas públicas e privadas, que o compliance ganhou destaque e se transformou em uma espécie de programa de integridade.

 

O que o compliance significa na prática para as empresas?

Partindo da explicação literal da palavra, ela nasce no verbo em inglês ‘to comply’, que significa cumprir, satisfazer ou realizar. Mas a versão mais assertiva para o termo é conformidade.

 

Nos negócios, compliance significa o conjunto de ações que permite estar em conformidade com atos, normas e leis. É a maneira de garantir que a gestão e o posicionamento da organização sigam as normas vigentes, respeitando o compromisso com a lei, a ética e a verdade.

 

“Trata-se de um sistema de controles internos que uma empresa deve seguir, o que inclui seus colaboradores, fornecedores e parceiros, e possibilita deixar os processos mais claros. É um documento desenvolvido pela organização e que reúne todas as normas e boas práticas a serem seguidas”, explica Eduardo Valério, especialista em governança corporativa e fundador da GoNext Governança e Sucessão.

 

“A partir do momento que uma empresa adota o programa de compliance, os objetivos passam a ser a garantia de permanência dentro das normas implementadas de maneira interna e a legislação vigente, no aspecto externo”, completa o especialista da GoNext.

 

Que tipo de empresa deve aplicar o compliance?

Todo tipo de negócio pode aplicar o compliance, que se torna cada vez mais necessário na criação da cultura organizacional e na competitividade empresarial. A aplicação e execução garante vários benefícios, como uma melhor relação com clientes e fornecedores.

 

“Quando não existem regras claras que norteiem atitudes e decisões, a equipe pode cometer uma série de erros. Então a primeira vantagem na aplicação do compliance é o menor risco de problemas relacionados as normas e valores de uma empresa e também o menor o risco de fraudes. Consequentemente isso gera mais credibilidade para o negócio, pode atrair novos investidores e amplia as chances em obtenção de crédito”, ressalta Valério.

 

Enquanto o compliance interfere nas atividades legais de uma empresa, estipulando políticas internas e legislações externas, a governança corporativa se faz mais ampla e busca alinhar a mentalidade dos gestores e seus processos de gestão. “Os dois termos devem ser trabalhados em conjunto para assegurar a boa gestão e a reputação das organizações”, enfatiza o especialista.

 

Como é feita a aplicação do compliance?
Cada empresa precisa identificar quais as necessidades que remetem ao compliance e a partir daí seguir seis indicadores que promovem o programa e fazem com que ele seja empregado de maneira organizada e eficiente.

 

São eles: envolvimento de corpo diretor, acesso total ao programa de compliance, manutenção de documentos válidos e atualizados, treinamento e capacitação recorrente na empresa, aplicação de ouvidoria interna e externa, direcionamento de ações conforme riscos.

 

Franquias do segmento de Negócios e Serviços

 

Eduardo Valério ressalta que a aplicação de um programa precisa ser acompanhada do início ao fim por profissionais que entendam a importância e conhecem as estratégias e metodologias para o sucesso da implementação do programa. “A participação de todos os colaboradores, incluindo a diretoria, é fundamental. A equipe responsável pela implementação e acompanhamento do programa de compliance deve monitorar todas as ações e evitar qualquer problema que possa fugir das normas e leis vigentes. O programa também permite o aumento da produtividade e eficiência do trabalho de todos”, destaca o consultor.

 

Saiba mais sobre o assunto nestes episódios do podcast GoNext Talk:

 

Episódio 01: Descomplicando a Governança Corporativa. Entenda o que é e como aplicar ao seu negócio by GoNext Talk (anchor.fm)

 

Episódio 02: O G do ESG. Como a Governança Corporativa se integra às demais práticas ambientais e sociais de uma empresa? by GoNext Talk (anchor.fm)

 

Sobre a GoNext Governança & Sucessão:

Consultoria especializada na implantação do sistema de governança corporativa e sucessão em empresas familiares. Fundada em 2010, atua com metodologia exclusiva para a profissionalização, elaborada a partir da experiência adquirida em aproximadamente 200 projetos atendidos no Brasil e nos Estados Unidos. A equipe de consultores desenvolve planejamento personalizado, de forma integrada aos objetivos e necessidades de cada cliente. A GoNext Governança & Sucessão foi fundada pelo CEO Eduardo José Valério, com mais de 25 anos de experiência como executivo, tendo atuado como C-Level de grandes companhias brasileiras.

 

Visite a página da franquia

 

CONHEÇA A FRANQUIA IDEAL PARA VOCÊ

 

 

Fonte: Portal Sua Franquia - https://www.suafranquia.com/

Encontre a melhor franquia para você