As franquias que estão de olho no público infantil

Pequenas no tamanho, mas grandes na influência sobre o orçamento doméstico, as crianças brasileiras são personagens de um segmento de negócios que deve crescer acima da média da economia brasileira em 2012. Segundo dados do Ibope Inteligência, em 2011, os mercados de calçados e roupas infantis geraram um potencial de consumo de R$ 20,92 bilhões. Para este ano, a previsão do instituto é de que o consumo no segmento atinja R$ 24,19 bilhões – um crescimento de 15% sobre a projeção do ano passado. No segmento de brinquedos, as previsões também são otimistas. Segundo a Associação Brasileira de Fabricantes de Brinquedos (Abrinq), o setor faturou R$ 3,460 bilhões em 2011, sendo R$ 1,764 bilhão de produção nacional e R$ 1,696 bilhão de importações. Para 2012, a estimativa é de faturamento de R$ 3,806 bilhões – um crescimento de 10%. 

 
De acordo com Ricardo Camargo, diretor executivo da Associação Brasileira de Franchising (ABF), o crescimento das franquias voltadas para o público infantil reflete uma tendência de segmentação do varejo brasileiro. Para ele, as principais redes se concentram nas áreas de vestuário, calçados e brinquedos, além de educação – com o serviço de reforço escolar. 
 
Segundo a ABF, o segmento infantil representa 43 das 2.031 redes ligadas à entidade. Juntas, essas marcas faturam R$ 1,922 bilhão em 2011 – 2,16% do total de vendas das franquias no ano passado. Mas a tendência é de crescimento. 
 
“O gasto com as crianças é muito maior do que há 20 ou 30 anos”, diz João Matta, coordenador do curso de Publicidade e Propaganda da ESPM e estudioso do assunto. 
 
A ausência dos pais nos lares e a busca por uma compensação com um presente que chega ao final do dia foram fatores que contribuíram para esse crescimento, afirma. Além das mudanças sociais, com mães e pais com jornada de trabalho fora do lar, o aumento do poder de consumo médio no Brasil e o surgimento da nova classe média também contribuíram para esse crescimento. “Houve um aumento muito grande na oferta de marcas e produtos voltados para as crianças”, diz Matta. 
 
De acordo com ele, os personagens de desenhos animados são os grandes favoritos dos pequenos, não importa a classe social. "As motivações de consumo das crianças são diferentes das dos adultos. Isso demanda responsabilidade dos profissionais que trabalham com marketing infantil", diz Matta. Segundo o professor, crianças de diferentes classes tem um acesso à informação de maneira bastante semelhante. Como para os pequenos é difícil elaborar o que está dentro ou não do orçamento familiar, cabe à publicidade evitar o estímulo ao consumo desenfreado. 
 
Veja redes de franquias do setor que estão investindo em expansão: 
 
Zastras 
Fundada em 2007, a rede de lojas de brinquedos opera hoje com 42 unidades e tem planos de abrir dez novos pontos de venda neste ano. “O mercado de brinquedos é totalmente ligado com o crescimento geral da economia. Como houve aumento do poder de consumo, em geral, também houve neste segmento”, afirma Guilherme Netti, diretor da Zastras. 
 
Para ele, houve um crescimento da influência da criança na sociedade e nas decisões de consumo das famílias. “Grandes fundos têm realizado investimentos no setor de varejo infantil no Brasil. Isso demonstra o potencial do mercado”, diz. 
 
Quanto custa ter uma franquia Zastras
Tipo de negócio Infantil e entretenimento
Data de fundação da empresa 2007
Investimento inicial R$ 199.000
Taxa de Franquia R$ 40.000
Royalties R$ 2.000 por mês
Capital de giro R$ 30.000
Taxa de publicidade R$ 500 por mês
Faturamento médio mensal Inicial de R$ 50.000
Lucro líquido de 15% a 20%  
Prazo médio de retorno do investimento de 24 a 36 meses
Prazo de contrato Cinco anos
Regiões de interesse Todo o Brasil
Área mínima da unidade 80 metros quadrados
Funcionários de 4 a 7
Telefone (11) 3706-1444
 
Mr Kids
Fundada em 2010, a empresa tem foco na venda de brinquedos e doces por máquinas automáticas instaladas em lugares de grande circulação de pessoas. Em 2011, iniciou o processo de franchising com abertura de unidades no interior de São Paulo, no sul e no centro-oeste. Hoje, são oito unidades em operação. 
 
A empresa opera com 50 modelos de máquinas, todas importadas do Canadá. A intenção é abrir três unidades por mês até o final do ano. Segundo a Mr. Kids, depois da participação pela primeira vez na ABF Franchising Expo, sete pessoas interessadas procuraram a marca. 
 
Quanto custa ter uma franquia Mr Kids
Tipo de negócio Comércio de brinquedos e doces através de vending machine
Data de fundação da empresa 2010
Investimento inicial R$ 9.540
Taxa de Franquia R$ 5.000
Royalties Não há
Capital de giro R$ 1.000
Taxa de publicidade Não há
Faturamento médio mensal inicial de R$ 4.320
Lucro líquido inicial de R$ 2.160  
Prazo médio de retorno do investimento de 10 a 12 meses
Prazo de contrato três anos
Regiões de interesse todo o território nacional
Área mínima da unidade depende do número de habitantes
Funcionários no começo não há necessidade
Telefone (11) 5058-2729
 
Casa X 
Parceria do empresário José Carlos Semenzato com a apresentadora Xuxa Meneghel, a Casa X foi lançada em 2012 e prevê a abertura de 300 franquias em cinco anos. O foco do projeto são casas de festas infantis, principalmente em grandes cidades, na primeira fase. 
 
Segundo Semenzato, na fase inicial de expansão, a Casa X terá como foco principal cidades com mais de 500 mil habitantes e capitais. “Duas das dez unidades previstas para este ano serão implantadas em São Paulo e no Rio de Janeiro. Com um projeto versátil, poderemos atingir casas de festas já existentes e convertê-las ao padrão da Casa X”, diz o empresário.
 
O investimento em criação da marca, desenvolvimento do projeto, pesquisas e implantação da primeira franquia piloto foi de aproximadamente R$ 3 milhões, mais R$ 1 milhão para suportar as primeiras franquias até atingirem o ponto de equilíbrio do negócio, segundo o empresário. “A lucratividade média das casas de festas infantis é de 28%, enquanto a de um restaurante, por exemplo, é de 17%. Enxergamos nesse mercado aquecido a oportunidade de oferecer um empreendimento diferenciado.” 
 
Quanto custa ter uma franquia Casa X
Tipo de negócio Rede de casas de festas infantis
Data de fundação da empresa 2012
Investimento inicial de R$ 500 mil a R$ 1 milhão
Taxa de Franquia R$ 150.000
Royalties 8% sobre faturamento bruto mensal
Capital de giro R$ 15.000
Taxa de publicidade 2% sobre faturamento bruto mensal
Faturamento médio mensal entre R$ 120 mil e R$ 300 mil
Lucro líquido de 20% a 25%
Prazo médio de retorno do investimento de 18 a 36 meses
Prazo de contrato Cinco anos
Regiões de interesse Capitais e cidades de grande e médio portes
Área mínima da unidade 600 metros quadrados
Funcionários depende do tamanho da casa, de 15 a 25
Telefone (11) 3049-0050

Fonte: Júlia Pitthan / PEGN - http://revistapegn.globo.com/Revista/Common/0,,EMI313291-17183,00-AS+FRANQUIAS+QUE+ESTAO+DE+OLHO+NO+PUBLICO+INFANTIL.html

Encontre a melhor franquia para você

-->