Você já ouviu falar em microfranquia de contabilidade eleitoral?

Já em vista do próximo período eleitoral, em 2020, a rede Essent Jus pretende aumentar sua atuação Brasil a fora de forma exponencial

O mercado de franquias se expande ano após ano, com a entrada de novas marcas no segmento, a criação de novos modelos de negócios e com cada vez mais pessoas que procuram empreender procurando no setor de franquias por modelos estruturados, negócios sólidos e consistentes, especialmente, quando falamos em lucro.
Outro tema que não passa despercebido na vida de qualquer cidadão, e um tanto quanto polêmico, é a política. E seguramente um dos momentos no qual percebemos debates mais intensos por causa das campanhas eleitorais, uma grande prova na vida de todo político, seja pela conquista do voto do eleitor, seja pela necessidade de prestar contas de arrecadação e gastos de campanha.

Dentro destes dois mercados, o Grupo Essent Negócios Contábeis lançou e validou em 2016 a startup Essent Jus, contabilidade digital prestada através de sua plataforma online para gestão legal e financeira para partidos políticos e candidatos, que automatiza o controle financeiro, a arrecadação (com robô para arrecadação de doações) e a prestação de contas para a Justiça Eleitoral e Receita Federal.

Com a grande expansão do negócio, que pulou de 25 clientes ativos em 2017, para 560 em 2018 e, atualmente, 1280 distribuídos em todos os estados do País, a Essent Jus lançou neste ano uma evolução de seu modelo de negócios: uma microfranquia de contabilidade para campanhas eleitorais. E o negócio é simples. Com baixo custo e risco, o franqueado da marca atuará apenas nos períodos eleitorais, em um contrato de quatro anos, onde atenderá duas eleições, uma a nível municipal e outra a nível nacional.
“O grande segredo deste negócio é a sazonalidade. O franqueado terá este negócio como um faturamento extra, sem dedicação exclusiva, em uma época do ano tranquila para as empresas de contabilidade e, com toda nossa experiência nesse mercado, esperamos um ótimo resultado para nossos franqueados, com uma lucratividade muito boa e risco próximo a zero, já que não há cobrança de taxas ou custos fixos mensais. Oferecemos uma genuína relação de ganha-ganha”, diz o CEO da Essent Jus, Guilherme Sturm, que também é membro da ABRADEP - Academia Brasileira de Direito Eleitoral e do IGADE – Instituto Gaúcho de Direito Eleitoral.

O CEO da rede esclarece que o único percentual cobrado do é sobre os clientes do franqueado, sem custos fixos mensais. “Nossos royalties são 0%. O franqueado pagará, além do investimento inicial, apenas uma taxa de serviços (cobrança, consultoria e monitoramento dos murais eletrônicos da Justiça Eleitoral) de 25% sobre os contratos que fechar. Caso não consiga nenhum cliente, o franqueado não terá nenhum custo fixo mensal, pois não haverá consumo destes serviços”, afirma.

O modelo de negócio pode ser para qualquer tipo de empresário e investidor (desde que tenha um contador habilitado na equipe), porém Guilherme deixa claro que o grande potencial é para as empresas de contabilidade e para os contadores autônomos. “Nós não somos concorrentes, mas sim parceiros dos escritórios e dos profissionais de contabilidade, até porque esse é um nicho de mercado pouco explorado, seja por conta da legislação específica, da burocracia e/ou quantidade de processos que causam morosidade no trabalho. Nossas ferramentas e experiência vêm para facilitar isso no mercado. Aquele contador que tem a intenção de trabalhar com políticos agora pode contar com a gente para auxiliar”, esclarece.

Com o investimento inicial de R$6 mil, que contempla adesão, treinamentos técnico e comercial e kit de vendas, o franqueado será responsável pela contabilidade eleitoral e arrecadação digital dos políticos envolvidos nas eleições, com previsão média de faturamento de R$36 mil (variável de acordo com a performance do franqueado) e prazo de retorno integral já na primeira campanha.

“O negócio é excelente porque todo candidato precisa em sua campanha cumprir com obrigações com Receita Federal, como a DIRF, além das obrigações com Justiça Eleitoral, especialmente no que diz respeito a prestação de contas. Desta forma, nossa rede servirá de apoio para facilitar este processo, por isso crescemos exponencialmente nos últimos dois anos”, finaliza Guilherme.

Raio-x da franquia
Data de entrada no franchising: 26/09/2019
Número de unidades: 35
Investimento: R$ 6 mil
Taxa de franquia: 25% sobre contrato assinados
Capital de giro: Isento
Royalties: Isento
Fundo Cooperado de Marketing: 5%
Previsão de faturamento médio por campanha: de R$36 mil, dependendo da performance do franqueado
Prazo de retorno: primeira campanha
Capital para instalação: Não tem

 

Encontre a melhor franquia para você: Franquias por segmentos e ramos

Fonte: Assessoria - www.suafranquia.com

Encontre a melhor franquia para você