CWK Coworking lança franquia de escritórios compartilhados

A CWK Coworking, rede de escritórios compartilhados que atua em São Paulo e Minas Gerais, foi criada em novembro de 2010, em Belo Horizonte, por Bruna Lofego. Trata-se de um escritório compartilhado que oferece serviços diferenciados. Com uma mensalidade, o cliente tem a seu dispor um escritório com salas de reunião, telefone, internet e outras soluções. Com o sucesso da CWK Belo Horizonte, em setembro de 2012, Paula Camanho abriu a filial do escritório compartilhado em São Paulo. Em fevereiro de 2014, a rede CWK Coworking ganhou sua mais recente unidade, localizada em Nova Lima, Região Metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais.

A rede acaba de lançar seu sistema de franquias para todo o Brasil. A iniciativa, que foi desenvolvida por especialistas em franquia e conta com metodologia própria para a terceirização dos serviços, vem em bom momento, já que o coworking está em ampla expansão no país, com crescimento de até 50% ao ano. Já o mercado franqueador faturou R$ 115 bilhões em 2013. O número representa um crescimento de 11,9% ante o ano anterior, quando o faturamento alcançou R$ 103,2 bilhões, de acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF).
 
De olho nesses números, Bruna Lofego, proprietária da CWK Coworking, planejou uma guinada nos negócios. Além de oferecer serviços de ponta nas três unidades já em atividade, percebeu que havia espaço pra expandir a marca com o expertise acumulado e oferecer a CWKCoworking como uma franquia, bastante simples de ser colocada em funcionamento. “É um orgulho e um desafio, ao mesmo tempo, colocar em prática a franquia de escritórios compartilhados para todo o país, mas conseguimos criar um sistema exclusivo de suporte ao franqueado que garantirá o padrão de qualidade, gerando resultados. A decisão de franquear a CWK Coworking veio depois de uma extensa análise sobre o mercado de coworking nacional, do posicionamento da empresa e do segmento de franquias”, explica Bruna.
 
Bruna Lofego destaca o potencial empreendedor do brasileiro como fator preponderante para o desenvolvimento de novos negócios. “Mesmo com a economia crescendo a passos lentos, a vontade do brasileiro de ter seu próprio negócio continua em alta. Além disso, o mercado de escritórios compartilhados está em crescimento. Somando-se tudo, optamos por tornar nossa rede ainda mais sólida, oferecendo também a franquia de serviços, com a experiência de um negócio que já deu certo”, revela.
 
Metodologia
 
A formatação das franquias da CWK Coworking foi planejada para oferecer baixa complexidade operacional, com total assistência pré e pós inauguração. As novas unidades contarão com projeto arquitetônico, assessoria para o plano de negócios, consultoria de campo e para escolha do ponto comercial, suporte em ações de marketing, treinamento e auxílio na contratação de pessoal e fornecedores homologados.
 
“Criamos um manual de operacionalização da franquia, mas estaremos in-loco, oferecendo nosso know-how durante a integralidade do processo. Um de nossos principais objetivos é manter, sempre a proximidade com as pessoas, já que elas são a parte mais importante de qualquer negócio bem sucedido”, explica.
 
Ao desenvolver seu método próprio de terceirização, a CWK Coworking pensou também em networking. Um dos grandes diferenciais da franquia é a criação de uma rede integrada de coworking, o que significa que os clientes poderão utilizar as dependências de todas as unidades espalhadas pelo Brasil, sem custo adicional. “O cliente CWK vai trabalhar com mobilidade e poderá planejar suas viagens de negócios com a certeza de que terá um espaço excelente trabalhar e fazer reuniões”, enfatiza.
 
Investimento 
 
Para colocar uma unidade da CWK Coworking em operação, o investimento total é de R$ 165 mil. Esse montante inclui taxa de franquia, capital de instalação e capital de giro. “Seguindo todos os passos, o retorno do investimento deve acontecer em menos de 24 meses, gerando lucro médio de 25%, com faturamento mensal entre R$25 mil e R$ 100 mil”, afirma Bruna Lofego.
 
Além do capital, é necessário pensar no espaço para instalação da franquia CWK Coworking. Por padrão, os escritórios devem ter a partir de 160m² de área e dois funcionários.
 
Coworking
 
Modelo bastante disseminado internacionalmente, o termo surgiu pela primeira vez em 1999, mas foi em 2005, em São Francisco, nos Estados Unidos, que Brad Neuberg criou o “Hat Factory”, um espaço de coworking, que funcionava num apartamento, agrupando três profissionais de tecnologia. Durante o dia, o espaço ficava aberto para “avulsos” que precisavam de um lugar para trabalhar e queriam compartilhar experiências.
 
Pessoas e empresas que optam pelo coworking também utilizam este modelo de trabalho para estabelecer relacionamentos de negócios onde oferecem e/ou contratam serviços mutuamente. Alguns destes relacionamentos também visam a favorecer o surgimento e amadurecimento de ideias e projetos em grupo.
 
Hoje, existem aproximadamente 2500 espaços de coworking em seis continentes. É uma maneira utilizada por muitos profissionais autônomos para solucionar o problema de isolamento do modelo de trabalho conhecido como home office. No Brasil, esse é um setor relativamente novo, com apenas seis anos desde a criação dos primeiros espaços compartilhados.
 
Outras oportunidades do segmento: Franquias de Negócios e Serviços
 
 

Encontre a melhor franquia para você

-->