5 escolas de idiomas para investir em 2019

Segmento de educação cresceu 3,4% no terceiro trimestre de 2018, segundo a ABF

Para quem planeja abrir o próprio negócio em 2019, optar pelo segmento de educação pode ser um caminho rentável, segundo pesquisa divulgada pela ABF (Associação Brasileira de Franchising). Apenas no terceiro trimestre de 2018, o setor cresceu 3,4% em relação ao mesmo período do ano anterior, com receita de R$ 3,071 bilhões (no ano passado, a receita foi de R$ 2,969 bilhões). Dentro do segmento de educação está o ramo de escolas de idiomas que, ao longo dos anos, tem reestruturado seus modelos de negócios para se adaptarem as novas demandas do mercado.

Julio Segala, que atua há mais de 20 anos no setor de franquias, acredita que investir na área, além de satisfação financeira, traz uma recompensa pessoal de poder contribuir com o futuro do país. "Trabalhar com educação impacta positivamente a vida das pessoas, e se torna uma missão de vida para muitos empreendedores. A educação é um universo de oportunidades, mas é também uma área bem exigente, de muita responsabilidade", comenta o Diretor de Marketing do Kumon América do Sul, rede de franquia que atua com ensino de inglês, japonês, português e matemática.

Ainda de acordo com o executivo, investir nessa área requer vocação, já que significa participar ativamente da transformação da sociedade. "Considero requisitos fundamentais para o empreendedor dessa área identificar-se com ela e ter vontade de trabalhar com desenvolvimento de pessoas", afirma.

Criada em 2018 e considerada uma smart school, a rede de franquias Beetools, especializada em curso de inglês, possui metodologia inovadora e utiliza diversos recursos tecnológicos, como Realidade Virtual e Inteligência Artificial. A tecnologia está mudando – e com a sala de aula não seria diferente. Se até pouco tempo atrás o ensino precisava de lousas e livros, hoje os alunos e professores dispõem de diferentes recursos para potencializar a aprendizagem. Dessa forma, a marca é uma smart school com cursos de inglês, que pretende estimular no país.

A empresa é um exemplo de Edtech ao apostar em tecnologias que facilitam a rotina de estudo dos alunos ao mesmo tempo que permite analisar as dificuldades de cada pessoa. Entre os recursos utilizados estão Realidade Virtual, Gamificação, Inteligência Artificial, Big Data, material digital, e ainda, metodologias ativas de ensino trabalhadas por um professor presencial.

“As Edtechs são a bola da vez em 2019. Outras áreas já tiveram um crescimento acentuado nos últimos anos. Agora, o mercado olha para as empresas deste setor como uma oportunidade de negócio em ascensão e também com propósito. Afinal, é só mudando a educação que poderemos mudar o país”, afirma Fabio Ivatiuk, CEO da Beetools.

A expressão Edtech é um acrônimo de Educação e Tecnologia. Ou seja, o conceito engloba empresas que desenvolvem soluções tecnológicas para estimular e melhorar tanto o ato de ensinar quanto a aprendizagem das pessoas. É o mesmo caso das fintechs, com startups especializadas no setor financeiro.

Esse mercado está em franca ascensão, com crescimento médio anual de 17% e expectativa de faturar US$ 252 bilhões até 2020, segundo o relatório edTechXGlobal, realizado pelo banco inglês IBIS Capital. Até lá, 380 milhões de estudantes estarão conectados a salas de aula virtuais.

Confira a seguir redes de franquias do ramo de escolas de idiomas para investir em 2019.

1 - Rockfeller

A Rockfeller é uma rede de franquias jovem que está em plena expansão. Hoje, a marca tem 39 escolas espalhadas pelo Brasil e a meta é chegar a 50 unidades em 2019 e cem em três anos. Em 2017, a rede faturou R$ 28,300 milhões e a expectativa é chegar a R$ 31 milhões neste ano. A expansão prevê todo territorio nacional e, para isso, oferece o modelo tradicional e o compacto para cidades menores.

2 - Beetools

No mercado desde junho de 2018, a Beetools irá fechar o ano com 13 unidades abertas entre Paraná, Alagoas e São Paulo. Em 2019 espera abrir mais 35 unidades e atingir um faturamento de R$ 5 milhões. As metas da startup Curitibana são ousadas. Para os próximos 5 anos, a empresa quer chegar ao número de 300 unidades em todo o país.

3 - YES! Idiomas

Com 46 anos de mercado e 153 unidades em operação, a rede de franquias YES! Idiomas planeja expandir suas atividades em 2019, inaugurando cerca de 30 unidades pelo país. Para alavancar ainda mais o crescimento, a empresa oferecerá aos franqueados de diferentes regiões brasileiras um incentivo de R$ 60 mil reais. O modelo de negócios mais compacto da rede são unidades com investimento inicial a partir de R$100 mil, para cidades com até 50 mil habitantes.

4 - Cultura Inglesa

A Cultura Inglesa – empresa operada apenas no RJ, DF, ES, GO e RS – possui 81 unidades (das quais 29 são franquias e 52 são unidades próprias), com cerca de 60 mil alunos. Desde 2016, a empresa faz parte do fundo Gera Venture, fundo de investimentos focado em gerar um impacto relevante na Educação. Para expandir a marca, em 2012, a Cultura Inglesa S.A iniciou o seu sistema de franquias. O modelo de negócios da marca requer investimento a partir de R$30 mil, com previsão de retorno em 24 meses. 

5 - The Kids Club

The Kids Club é uma rede especializada no ensino de inglês para crianças, que oferece cursos para alunos de dois a 12 anos, além de certificação internacional e intercâmbio para crianças e adolescentes de oito a 17 anos. A expectativa da marca é fechar 2018 com crescimento de 8% esse ano em comparação com o faturamento conquistado ano passado. O investimento inicial para novos franqueados é de R$3.500, no modelo home based e R$40 mil no modelo sede própria.

Clique aqui e confira mais opções de franquias de Escolas de Idiomas

Fonte: Sua Franquia - www.suafranquia.com

Encontre a melhor franquia para você