Mulheres empreendedoras apostam em franquia para reinventar carreira

A empresária Silvana Toscana, 34 anos, comemora hoje a decisão tomada há dois anos de investir em um negócio próprio. O primeiro passo foi se desligar da empresa da família, do ramo de construção civil. Em seguida pesquisou diversos modelos de negócio de acordo com seus objetivos: um empreendimento que demandasse baixo investimento e possibilitasse horário flexível. A escolhida foi a franquia de máquinas de venda automática (Vending Machines) Mr. Kids, que comercializam produtos por um ou dois reais.

Para tornar-se franqueado é necessário um investimento inicial mínimo de R$ 8.960,00 em maquinário, além de taxa de adesão única de R$ 5 mil – não há custos adicionais com royalties ou outras cobranças.

Hoje, Silvana possui 100 máquinas instaladas nos corredores de dez shoppings da região de Maringá, no estado do Paraná, que juntas faturam em média 30 mil reais por mês. “O negócio cresceu rápido e eu me sinto realizada. Com planejamento, consigo cuidar sozinha de todo empreendimento, incluindo manutenção, limpeza e abastecimento”, conta.

Para 2013, a empresária planeja dobrar o tamanho de sua rede de máquinas com a aquisição de novas unidades. “Quanto maior for o investimento em equipamentos, maior será a oferta de produtos comercializados e, consequentemente, maior será o faturamento da franqueada”, explica Antonio Chiarizzi Junior, diretor da Mr. Kids.

Venda rápida e simples
O apelo das vending machines atrai pais que buscam agradar crianças com brinquedos bons, baratos, colecionáveis e fáceis de comprar. Com um ou dois reais, é possível escolher em poucos segundos entre bolinhas, brinquedos, adesivos, miniaturas ou chicletes. A linha inclui licenciamentos da Marvel, Disney, Turma da Mônica, Warner Bros e Looney Tunes, além de lançamentos. Os Vingadores e Carrossel estão entre os mais recentes.

Assim como Silvana, Eloisa Oliveira Kalaf, 33, também encontrou na Mr. Kids uma alternativa para redirecionar a carreira e, há cerca de um mês, decidiu abrir o próprio negócio para complementar a renda. Como desempenha a função de administradora na fábrica de eletroeletrônicos da família, o horário flexível foi fundamental.

Com o suporte da franqueadora, Eloisa estudou pontos para instalação de máquinas e os produtos mais adequados. Os equipamentos serão instalados em uma loja de roupas infantis, uma papelaria e no comércio próximo das escolas da região noroeste da cidade de São Paulo. Bolinhas pula-pula, cápsulas com bichos de pelúcia, chicletes, adesivos são alguns dos  produtos a serem comercializados.

Mulheres no comando
De acordo com Chiarizzi,  entre os 24 franqueados, cinco são mulheres,  e ainda há negócios que são administrados pelas esposas dos franqueados. “Em um primeiro momento as mulheres entram no negócio por meio das máquinas adquiridas pelos maridos, para serem geridas por elas. Mas muitas delas, com o desejo de empreender, investem sozinha em seu próprio negócio”.

Para o semestre, há expectativa no crescimento da participação das mulheres na Mr. Kids. “Registramos um aumento no número de mulheres que procuram a franquia. Hoje elas representam 33% do total de interessados pelo negócio das vending machines”, conclui Chiarizzi.

:: Conheça mais franquias de entretenimento

Encontre a melhor franquia para você

-->