De sapateiro a dono de rede de franquias que fatura R$ 150 milhões ao ano

Wilson Giustino, mais conhecido como Sr. Wilson, tem uma trajetória empreendedora cheia de desafios e superações. Ele gosta de trabalhar desde criança. Aos 12 anos – por vontade própria e para ter “seu dinheiro” –, Giustino começou a atuar em uma pequena fábrica de sapatos. O gosto pelo trabalho logo o levou ao cargo montador, função pela qual recebia o salário de um trabalhador adulto. Ele trabalhou por dois anos nesta empresa.

Logo depois, Giustino foi contratado por uma loja de materiais elétricos na zona leste de São Paulo, onde ficou por mais dois anos, agora na função de balconista. Ainda adolescente, com então 16 anos, se tornou gerente de outra loja do segmento - o proprietário havia aberto uma nova unidade também nessa região. O cargo alto alcançado em tão pouco tempo fez com que Giustino alçasse voos mais altos. Aos 18 anos, começou a trabalhar nos negócios da família, em uma das lojas de joias de seus primos. Aos 20 anos, Giustino resolveu montar a sua própria fábrica de joias para fornecer seus produtos para os comércios da família.

O fundador do CEBRAC tocou seu próprio negócio até os 22 anos. Por conta de um assalto planejado por uma quadrilha à mão armada em sua fábrica, Giustino decidiu mudar de rumo. Na época, o roubo causou a ele um prejuízo de cerca de R$ 1 milhão em peças e ouro – o que dificultou ainda mais o rastreamento dos produtos, já que ao serem derretidos eles perdem a identificação. Por conta desse episódio, Giustino fechou as portas da fábrica, ficou com dívidas e teve que mudar de vida completamente para se reerguer. Nesta época, lá pela década de 1980, surgiu uma oportunidade para ele de se tornar um vendedor de cursos de informática. Traumatizado com o assalto, Giustino abraçou a ideia e foi por conta desse emprego que o CEBRAC surgiu.

O CEBRAC nasceu como uma empresa que vendia cursos de computação – era chamada de Centro Brasileiro de Computação – e lucrou com isso por muitos anos (1980 a 1995). Porém, Giustino, percebeu, ao analisar o mercado, que apesar de ser extremamente lucrativo, cursos de informática não eram o futuro. “Precisava fazer algo para mudar esse quadro”, disse certa vez. Nascia então, o Centro Brasileiro de Cursos, uma franquia de cursos profissionalizantes focada em adolescentes da classe média. Giustino foi o pioneiro dos tão conhecidos cursos de capacitação, oferecendo o primeiro curso livre de contabilidade e de secretariado informatizado.

Deste momento em diante, o sucesso foi tão grande, que os próprios professores da escola quiseram montar as suas próprias unidades CEBRAC. Por conta desse sucesso, foram dados os primeiros passos para a empresa entrar no sistema de franchising. A primeira unidade neste formato foi aberta em Maringá (PR) e encabeçada por um dos professores da rede.

Neste modelo de licenciamento de escolas, o CEBRAC atingiu 42 unidades em 2002. Percebendo que o negócio precisaria se profissionalizar, Giustino convidou o casal de professores Jefferson Vendrametto e Luciana Soméra - que também já eram licenciados - para fazerem parte do negócio. Em 2004, foi feita a formatação para a marca se tornar uma franquia. Neste processo, o CEBRAC contratou uma consultoria especializada na área para auxiliar na conversão do modelo de negócios. Em 2006, se afiliou a Associação Brasileira de Franchising (ABF) e, com o crescimento da rede a passos largos, em 2012 foi a vez de mais um franqueado, Rogério Silvano Silva, fazer parte dos negócios.

Em 2012, a sede do CEBRAC também mudou: saiu de Botucatu - no interior de São Paulo – para a cidade de Londrina (PR), onde foi construído um prédio de oito andares, para dar todo o  suporte para as unidades franqueadas. 

Hoje, o CEBRAC chegou à marca de mais de 150 unidades em todo o Brasil, proporcionando aos jovens a qualificação necessária para que eles consigam conquistar melhores espaços no mercado de trabalho. A rede de franquias oferece cursos de capacitação que simulam situações do dia a dia para os estudantes. Em 2014 o faturamento foi de R$ 150 milhões. “Com mais de 150 escolas distribuídas em todo país e mais de 20 anos de experiência, conseguimos registrar um aumento de 15% em faturamento em 2015, quando comparado ao número conquistado em 2014”, comemora Giustino.

A marca também foca no desenvolvimento pessoal de cada estudante, passando pela postura profissional. Aberta em 1995, a rede oferece cursos em sete diferentes áreas, como Assistente Administrativo Completo, Geração Web, Farmácia e Inglês.

VEJA OUTRAS OPORTUNIDADES: FRANQUIAS DE EDUCAÇÃO E TREINAMENTO

Encontre a melhor franquia para você