Início / Notícias / Redes Sociais / Artigo — Creator Economy: uma nova era muito além do "publi"

Artigo — Creator Economy: uma nova era muito além do "publi"

Hoje, os influenciadores digitais entraram em cena e seus perfis nas redes sociais se tornaram o melhor “veículo de comunicação

Artigo — Creator Economy: uma nova era muito além do "publi"

Compartilhe:   

Até pouco tempo atrás para que uma marca divulgasse seus produtos/serviços, o caminho mais assertivo era uma grande campanha pelos principais meios de comunicação como TV, jornais ou revistas, num processo que pulverizava a campanha para alcançar o público-alvo. Hoje, os influenciadores digitais entraram em cena e seus perfis nas redes sociais se tornaram o melhor “veículo de comunicação” para que as marcas criem proximidade com esse público. Isso porque entenderam o valor de uma campanha com influenciadores para gerar engajamento.

Segundo um levantamento da Business Insider, até o final deste ano o mercado de marketing de influência deve movimentar em torno de U$15 bilhões. Esse dado deixa clara a importância dos influenciadores para a indústria do marketing. Mas, para além do óbvio, esses influencers têm contribuído para a criação de um novo momento que, hoje, podemos chamar de Creator Economy, a economia dos criadores em português.

Essa nova economia tem movimentado todo o mercado, gerando novas oportunidades para diversos setores. Mas o que temos de tão diferente? De um lado, estão as empresas descobrindo que a estratégia de focar apenas em influenciadores que promovem seus produtos em páginas próprias pode não ser o único e nem o melhor caminho para promover sua marca. Do outro, temos as plataformas de vídeo, como o TikTok, Twitch, o Shorts, do YouTube, reels, do Instagram, Kwai etc., que privilegiam a produção autoral de conteúdos daqueles que deixaram de ser apenas influenciadores para se transformarem em creators, e investem neles porque entendem como são capazes de impulsionar as redes. 

Todos os envolvidos perceberam o quão valiosa é essa estratégia de se unir a esses criadores de conteúdo para desenvolverem vídeos em parceria para serem compartilhados nas páginas das empresas, ao invés de trabalhar peças que são publicadas nos perfis desses influenciadores apenas como uma “publi” ou um “recebido”. Até porque, a estratégia de co-criação entre marcas e creators pode agregar valor às peças publicadas, uma vez que usam a linguagem nativa de cada plataforma, fazendo com que o algoritmo entregue a mensagem a quem, de fato, deve entregar.

Estamos entrando na terceira era da comunicação, que é a era da produção de conteúdo pelo usuário e da ascensão da Creator Economy. Um levantamento recente que fizemos, mostrou que vídeos com criadores geram 71 vezes mais vendas, provando como essa nova estratégia tem trazido grandes resultados. 

Esse novo cenário nos mostra que, cada vez mais, o valor está nas peças e ações autênticas. Quanto mais natural aquele conteúdo for, sem “plastificação”, pasteurização ou retoques, mais vai dialogar com o seu público, seja ele qual for. Até porque, o bom conteúdo é aquele que entretém, não o que interrompe. Assim, no momento em que ele está vendo vídeos de interesse, encontra um anúncio que também conversa com as suas preferências. 

É claro que existem alguns elementos que combinados com os criadores de conteúdo contribuem para o sucesso dos vídeos e deixam a peça mais orgânica para o usuário da plataforma, como presença humana, cores quentes, entre outros fatores. 

O fato é que as marcas precisam se preparar e estudar para entenderem de que forma essa nova estratégia pode contribuir com o seu tipo de negócio. Há uma empolgação para entrar de cabeça em algo novo e promissor, mas é preciso ir com calma para entender esse novo universo de possibilidades que está se apresentando. Meu principal conselho para elas é: não forcem um conteúdo só para entrar no hype. As peças autênticas continuam sendo as que trazem mais engajamento do consumidor, já que se conectam com ele de forma genuína.

*Por Camilo Barros - Head of Sales and Partnerships Latam da VidMob

PUBLICIDADE

Tem interesse no mercado de franquias?