Notícias / Negócios e Serviços / PostNet pretende abrir 15 unidades este ano

PostNet pretende abrir 15 unidades este ano

Compartilhe:   

Rede de serviços para escritório exige investimento de R$ 60 mil

Renata Leite

De acordo com consultores, o crescimento de uma empresa está, muitas vezes, atrelado à prioridade dada a sua atuação no mercado. É recomendável que executivos foquem as atividades fim das corporações e deixem os demais serviços sob responsabilidade de terceiros. Visando a esse mercado, a rede americana PostNet centralizou a oferta de alguns desses apêndices aos negócios de escritórios, empresas e comerciantes, e inicia expansão acentuada no Brasil. Ao longo dos últimos seis meses, inaugurou sete unidades, em São Paulo, Minas Gerais e no Recife. Cada loja franqueada demanda investimento de R$ 60 mil, afora o ponto, com perspectiva de faturamento de R$ 30 mil, sendo 20% deste valor convertido em lucro.

Em espaço mínimo de 30 metros quadrados, as unidades oferecem serviços de cópias de documentos, impressões gráficas, acabamentos em plastificação, encadernação e até mesmo criação de logotipos e cartões de visitas para pequenas empresas. Além disso, alguns computadores são disponibilizados para os clientes, que podem ter acesso aos principais programas e à internet. Algumas parcerias viabilizaram a oferta de outros serviços, como o de remessas nacionais e internacionais, pela Fedex, DHL e UPS, e postagem para correio. ""Somos uma central de conveniência de serviços, todos de qualidade e reunidos em um único lugar. Esse é o nosso diferencial em relação à concorrência"", afirma Jacques Kann, master franqueado no Brasil.

Para este ano, a expectativa de Kann é que sejam abertas mais 15 lojas, em cidades com mais de 150 mil habitantes. ""Chegar ao Rio de Janeiro é uma de nossas metas para 2007. Já avaliamos alguns locais como o Centro da Cidade, a Zona Sul, a Barra e Niterói e confirmamos a existência de grande potencial de consumo dos nossos serviços"", afirma. O master franqueado aponta alguns fatores que minimizam o risco do negócio, como a ausência de estoque não há venda de produtos, mas de serviços e a pouca interferência de possíveis instabilidades econômicas no País no faturamento anual.

Estados unidos. A rede possui 10 unidades no País, e 1 mil no exterior, sendo 500 delas localizadas nos Estados Unidos. João Gabriel Lima Nunes inaugurou sua unidade PostNet no último mês de junho, depois de uma experiência mal sucedida com uma loja de cosméticos. ""Minha mulher tocava o negócio enquanto eu trabalhava em um banco, mas a chegada de redes de franquia do segmento na região tornou a concorrência impraticável. Fechamos"", conta. Nunes optou, então, por lançar-se no segmento de serviços, com o qual já está mais familiarizado, em função de seu antigo emprego. Em dois meses, a loja ficou pronta.

Nunes afirma que, em apenas cerca de seis meses, já está formando carteira de clientes que mescla escritórios, principalmente de advocacia e de arquitetura, comerciantes e pessoas físicas.

O maior desafio foi se fazer conhecer após a inauguração. Nunes utilizou muito a panfletagem, mas hoje garante que é o boca-a-boca que incrementa suas vendas. ""Nosso mix de produtos é mais completo do que o da concorrência, além de oferecermos serviços com um maior padrão de qualidade"", explica.

Luiz Pretas, franqueado de Pamplona, também em São Paulo, concorda com Nunes. Aberto a pouco mais de dois meses, ele ainda recorre bastante à panfletagem, envia e-mails e se desloca até escritórios da região para oferecer seus serviços. ""Até o momento, a maioria de meus clientes são pessoas físicas, mas isso deve mudar a partir de agora"", especula.

PUBLICIDADE

Tem interesse no mercado de franquias?