Brasileiros estão preocupados com a inflação, mas devem ir às lojas físicas para compras de final de ano  

90% dos respondentes mostraram-se preocupados com a alta da inflação, entretanto, consumidor pretende ir às compras para o Natal

Franquia

 

A Zebra Technologies Corporation, empresa global de soluções digitais, hardware e software inovadores, anuncia os resultados de sua 15ª Pesquisa Global Anual de Consumidores, que confirma que os consumidores estão voltando às compras em lojas físicas em números semelhantes aos de antes da pandemia. Eles também adotaram hábitos de autoatendimento usando cada vez mais a tecnologia ‘faça você mesmo’ nas lojas, permitindo que os funcionários se dediquem a outras tarefas.

Embora a inflação tenha afetado a percepção de compras para 90% dos consumidores no Brasil, é fato que eles estão voltando às lojas para as compras de Natal. No entanto, os entrevistados relataram querer sair rapidamente das lojas e estão dispostos a usar a tecnologia de autoatendimento para agilizar o processo. De acordo com o estudo, o envolvimento do comprador com esses tipos de soluções continua aumentando, com 69% dos consumidores afirmando que já utilizaram ferramentas de autoatendimento e self-checkout.

40% dos consumidores que responderam a pesquisa preferem pagar usando um dispositivo móvel ou smartphone e 93% esperam continuar a utilizando soluções de self-checkout, diminuindo assim a preferência por caixas tradicionais. As empresas estão seguindo a mesma linha, já que 71% delas na América Latina consideram que, com a automação dos pontos de pagamento, os checkouts atendidos por pessoas são cada vez menos necessários e quase a metade já está transformando seus espaços para oferecer opções sem contato e self-checkout. Os compradores estão esperando, pois 88% deles disseram que esperam que suas lojas favoritas disponibilizem a tecnologia mais recente.

Os consumidores também continuam contando com seus smartphones para fazer compras. Este ano, o estudo da Zebra indicou uma alta sensibilidade para o uso de celulares para identificar melhores preços. Mais da metade (60%) dos entrevistados estão procurando ofertas, descontos especiais ou cupons e 80% quer cortar despesas para pagar as contas em dia.

 

A experiência “tudo” para os compradores

Os compradores esperam ter uma experiência perfeita, seja qual for a modalidade. 8 entre 10 pessoas preferem comprar na loja ou online, favorecendo os comerciantes que oferecem ambos. A comodidade continua em alta para atender a demanda: a grande maioria dos consumidores (86%) prefere pedir seus produtos em casa e 70% prefere empresas que oferecem o serviço de retirada na loja.

O mesmo vale para logística reversa ou devolução de pedidos. 87% dos consumidores preferem comprar de marcas que oferecem processos de devolução fáceis. Para responder a esta necessidade, 52% dos negócios do setor na região estão adaptando os pontos de coleta de encomendas e/ou devoluções nas suas lojas.

“Os compradores não veem canais diferentes, mas sim uma experiencia única, independentemente de onde ou como compram. É por isso que não falamos mais apenas de e-commerce, mas de comércio unificado ou unified commerce, como o futuro do varejo”, afirma Andrés Ávila, gerente sênior de marketing para o setor de varejo da Zebra Technologies na América Latina. “Os dias do omnicanal com operações isoladas estão fora de sintonia com a forma como as pessoas compram hoje. Uma abordagem de comércio unificado pode ajudar os varejistas a entender melhor seus consumidores, entender suas preferências de compra (seja online, na loja, rede, smartphone ou qualquer combinação) e, assim, melhorar sua experiência geral”.

Quanto aos motivos pelos quais os compradores abandonam uma compra, surpreendentemente, os preços altos não fazem parte da lista. A principal frustração continua sendo a indisponibilidade de produtos. 64% dos compradores demonstraram preocupação com isso e disseram que saíram da loja sem os produtos que procuravam porque não estavam em estoque. Os varejistas têm plena consciência disso, pois 85% deles reconhecem como um grande desafio e sabem da necessidade de aprimorar suas ferramentas de gestão para obter maior precisão de estoque e disponibilidade de produtos.

 

Aumentando a força de trabalho

Quase 8 de 10 (79%) consumidores estão satisfeitos com o serviço oferecido pelos varejistas. Da mesma forma, compradores, funcionários e tomadores de decisão no setor de varejo concordam que os clientes têm uma experiência melhor quando os funcionários usam tecnologia de ponta para atendê-los. Como benefício adicional, os trabalhadores pesquisados na região (91%) e os líderes do setor (82%) afirmam que as lojas que aproveitam a tecnologia para as operações do setor, incluindo dispositivos móveis, têm mais chances de fidelizar e reter funcionários.

Para aprimorar ainda mais a experiência de compra, quase 9 em cada 10 varejistas pesquisados esperam contratar e capacitar mais trabalhadores sazonais para a temporada de festas de 2022, para ajudar os clientes a receber seus pedidos no prazo e oferecer a eles a opção de retirar seus itens na loja. Isso atende a outro desafio citado por 81% dos varejistas pesquisados: melhorar a eficiência e as despesas operacionais de suas vendas online.

“Depois de 15 anos conduzindo este estudo de compradores, trabalhadores e varejistas, uma constante é clara: o varejo está sempre mudando”, disse Avila. “As expectativas, experiências e comportamentos no setor seguem evoluindo em um ritmo cada vez mais acelerado. Somente quando a tecnologia e as pessoas se unem, tanto em sua visão para o futuro quanto em sua capacidade de executar hoje, os varejistas são capazes de oferecer de forma consistente as experiências que os clientes esperam. O varejo está em um ponto em que a tecnologia não é apenas um desejo ou uma ferramenta interessante de se ter, é uma parte essencial da sua estratégia de negócios.”

Fonte:

Divulgação Zebra Technologies Corporation

Encontre a melhor franquia para você