Início / Notícias / Finanças / Artigo: Quais são as maiores tendências do setor de pagamentos?

Artigo: Quais são as maiores tendências do setor de pagamentos?

PIX, criptomoedas e afins entram nas tendências para este ano. Confira!

Artigo: Quais são as maiores tendências do setor de pagamentos?

Compartilhe:   

Quando se fala em fazer um pagamento online, o conceito mais importante é praticidade. Graças aos avanços tecnológicos, é possível pagar contas e também fazer compras de forma muito mais rápida, segura e simples. Isso, com certeza, mudou as relações de consumo, com os clientes cada vez mais ávidos por métodos eficazes e as empresas lutando para retê-los e também aumentar a própria receita.


Para se ter uma ideia, um estudo feito pela Mastercard mostra o aumento do uso dos métodos de pagamento digitais, com 86% dos entrevistados dizendo ter usado um deles no ano passado e 94% pretendendo usar em 2023.
Dessa maneira, com o setor em tamanha evolução, quais são as principais tendências para o mercado de pagamentos esse ano? Confira abaixo uma lista com as quatro principais:

 
•    PIX  

Criado no final de 2020, o PIX veio para revolucionar a forma como lidamos com dinheiro. Possibilitando transferências instantâneas e sem pagamento de taxas extras durante 24h, é considerado o meio de pagamento favorito do brasileiro conforme a pesquisa Carat Insights, realizada pela Fiserv. Entre os motivos para essa escolha, estão o fato de ser rápido, prático e dispensar a necessidade de se andar com dinheiro físico, além de baratear as transações bancárias, sendo vantajoso tanto para empresas quanto consumidores.

Sem um concorrente à altura, o PIX tem tudo para continuar reinando com um dos métodos mais escolhidos pelos consumidores em 2023. Além disso, com a iniciativa do Bank for International Settlements (BIS) de criar o Nexus, um modelo que promete abranger cerca de 60 países que utilizam de alguma plataforma de pagamento instantâneo e facilitar transações entre diferentes pátrias, a plataforma só ganha ainda mais força.


•    Criptomoedas

 
Segundo dados da Receita Federal, os brasileiros negociaram cerca de R$ 154 bilhões de criptomoedas durante 2022. Mesmo havendo uma queda se comparado a 2021, o valor ainda é 40% maior do que 2020, considerado o ano da alta do bitcoin.

Com isso, muito começa a se estipular de se utilizar o bitcoin como método de pagamento, já que sua velocidade é maior do que o dinheiro tradicional e seus custos de transação são mais baixos também. No entanto, ainda há um caminho longo a se percorrer, já que as criptomoedas ainda sofrem por conta de incertezas regulatórias e ainda há poucas opções de comércio que já precifiquem produtos utilizando esse tipo de moeda.

 
•    Open Banking


 
Essa iniciativa consiste em um sistema em que bancos podem compartilhar informações de seus clientes para outras instituições, o que permite que fintechs e companhias diversas possam oferecer produtos financeiros personalizados que os ajudem a gerenciar o dinheiro de forma mais eficiente.

Isso, com certeza, proporciona melhores ofertas, menores custos e maior autonomia do cliente. Para quem é comerciante, o Open Banking possibilita a contratação de soluções mais estratégicas de pagamento, permitindo que os consumidores possam escolher facilmente entre todos os métodos disponíveis no mercado. Isso melhora tanto a experiência na utilização da plataforma quanto a sua confiança na empresa. Além disso, a iniciativa aprimora a eficiência dos pagamentos e reduz custos, trazendo mais segurança para as operações, protegendo de fraudes e proporcionando mais competitividade e inovação para a indústria financeira.


•    Carteiras Digitais 


Um estudo do portal Insider Intelligence aponta que o Brasil está em terceiro lugar no ranking dos países que mais utilizam Carteira Digital. E não é para menos, já que a modalidade tem a praticidade como principal característica e já caiu nas graças populares.
Nesse método, o usuário armazena dinheiro em uma plataforma online e todas as informações bancárias de um cliente ficam salvas em um mesmo lugar, permitindo que as compras sejam feitas por meio de poucos cliques e sem a necessidade de utilizar cartões ou dinheiro físico. São várias formas de acessar a também chamada e-wallet, indo desde smartphones até mesmo computadores, relógios inteligentes e QR Codes.


*Por Vasco Pineda, launcher da Yuno, empresa de software e infraestrutura para pagamentos completa para empresas. 

PUBLICIDADE

Tem interesse no mercado de franquias?