Conheça redes de franquias dos ramos que mais cresceram em 2017 e devem continuar em alta em 2018

Enviado em 08, Fev, 2018 às 10:00:00

Conheça redes de franquias dos ramos que mais cresceram em 2017 e devem continuar em alta em 2018

Conheça redes de franquias dos ramos que mais cresceram em 2017 e devem continuar em alta em 2018: De acordo com dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), o ramo de alimentação, de entretenimento e lazer, de serviços educacionais e serviços e outros negócios se destacaram em 2017


Apesar de a economia do Brasil ainda estar se recuperando lentamente após o período de crise, o setor de franquias se manteve em crescimento nos últimos anos e aparece novamente como uma boa opção para quem pretende empreender em 2018. De acordo com dados divulgados pela Associação Brasileira de Franchising (ABF), o mercado como um todo registrou aumento de 8% em sua receita em 2017 em comparação com o mesmo período de 2016.

Além disso, o Índice de Confiança Empresarial teve um incremento de 6,6% e o Índice de Confiança do Consumidor aumentou 3% entre 2016 e 2017, segundo dados da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Esses números refletem diretamente no comportamento de compra dos usuários e indicam um potencial de aumento nas vendas para este ano.

Confira abaixo algumas empresas que estão dentro dos ramos de franquias que mais cresceram em 2017 e devem continuar a crescer em 2018:

 

Alimentação

É um dos ramos mais tradicionais dentro do universo de franquias e teve aumento de 6,1% em seu faturamento de acordo com a entidade. O ritmo deve ser mantido por conta da queda da inflação e recuperação da economia. A rede de franquias Oca de Savóia, que comercializa pizza por fatias, espera encerrar 2018 com 24 unidades na região Sudeste. Já a Mordidela, de mini porções de doces e salgados, deve manter o ritmo de expansão por conta do seu ticket-médio baixo. Na mesma linha, a Duke’n’Duke e a Horta 31 tende a seguir o mesmo caminho.

 

Entretenimento e Lazer

Entretenimento e Lazer registrou alta de 13,1% e foi o que mais faturou no último trimestre de 2017, de acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF). Empresas como a G-Emotion, que trouxe para o Brasil máquinas de realidade virtual em 9D e a Desbravadores, de airsoft, podem ser boas opções para quem pretende empreender em 2018.

 

Serviços Educacionais

O segmento de Serviços Educacionais teve aumento de 9,7% em seu faturamento e ficou entre os que mais prosperaram no fim do ano. Primeira franquia de estágios do Brasil, a Super Estágios foi uma das novidades do ano passado no setor de educação por ajudar estudantes a encontrarem um trabalho. 

 

Serviços e outros negócios

Serviços e Outros Negócios teve aumento de 9,7% de acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF). Empresas como a Vazoli, que trabalha com empréstimos pessoais, acredita que deve manter bons resultados por conta da queda na taxa de juros. Já a Ótris, que atua com recuperação de crédito para pequenas e médias empresas, espera um incremento em seus resultados por conta da queda no número de inadimplentes. O Clube de Permuta, plataforma de relacionamento que gera negócios por permuta multilateral B2B, também deve ser um dos destaques, já que a empresa é pioneira dentro no mercado, que ainda tem muito espaço para crescer. Pintura a Jato, de serviços de pintura ‘airless’, aposta que também deve ir na mesma direção. 

 

Saúde, beleza e bem-estar

Saúde, Beleza e Bem-Estar registrou 9,2% de crescimento no período e deve se expandir ainda mais durante o ano de 2018. O Grupo Odontológico Unificado (GOU), especializado em tratamentos ortodônticos, espera manter os resultados dos últimos anos. De acordo com a Associação Brasileira Odontológica e Estética (SBOE), houve um aumento de 300% na procura por tratamentos entre 2014 e 2017.

 

Serviços Automotivos

O segmento teve um avanço de 6,2% e deve ser impulsionado pela recuperação da indústria automotiva, que registrou um salto de 25,2% na produção de veículos segundo a Anfavea (Associação das montadoras). Empresas como a 3S Tecnologia, que oferecem serviços de monitoramento e gestão automotiva, e a High Torque, de oficinas mecânicas, devem ver seus resultados serem impulsionados pelo novo cenário. 

 

Compartilhar: