Início / Notícias / Ambiental / ESG: Mustela lança lenços umedecidos produzidos com celulose de florestas sustentáveis

ESG: Mustela lança lenços umedecidos produzidos com celulose de florestas sustentáveis

O novo produto é feito de fibras a base de plantas e sem plástico e pode ser usado em bebês de qualquer idade

ESG: Mustela lança lenços umedecidos produzidos com celulose de florestas sustentáveis

Compartilhe:   

A Mustela, marca de produtos de higiene infantil, desenvolveu nova linha de toalhas umedecidas produzidas com fibras a base de planta, sem plástico, com celulose de florestas sustentáveis. A iniciativa partiu após um estudo feito pela empresa sobre o impacto de uso desses lenços ao planeta.

Devido ao longo período para total degradação do material, a Mustela optou por alterar o material das fibras para uma composição mais sustentável. A empresa escolheu o Lyocel, feita a partir de celulose de florestas sustentáveis. O novo produto conta ainda com 97% de ingredientes cosméticos de origem natural.

A empresa informou ainda que os lenços permanecem com a mesma fórmula cosmética e perfume, mantendo o uso de ingrediente ativo obtido de cadeia produtiva sustentável e sem desperdícios, a Perseose®. A ação faz parte do programa ImpACT da marca, que prevê até 2025, reduzir 20% o uso do plástico de seus produtos e ter 30% do plástico reciclado integrado em suas embalagens e 100% das embalagens recicláveis.

“Temos um compromisso com as gerações futuras de cuidado com a pele, mas também com o planeta e estamos concentrando todos nossos esforços para melhorar a cada dia nossos produtos e embalagens. Por isso, escolhemos para nossas toalhas umedecidas uma fibra mais ecológica, à base de plantas, e sem micropartículas de plástico, reduzindo significantemente o impacto no meio ambiente, comentou em nota Marilla Mesquita, Gerente de Marketing e Responsabilidade Socioambiental Corporativa da Mustela® no Brasil. “Para ir mais além, aproveitamos a oportunidade para reduzir também o nosso uso de plástico na embalagem, reduzindo-o em 57%”, concluiu a executiva.

Fonte:

Divulgação 

PUBLICIDADE

Tem interesse no mercado de franquias?