58% dos negócios que atuam em redes no Food Service pretendem lançar produtos focados na Copa do Mundo

Marcas aproveitam o evento esportivo para inovar e aproveitar o consumidor mais animado e disposto a gastar

58% dos negócios que atuam em redes no Food Service pretendem lançar produtos focados na Copa do Mundo

Acompanhada mundialmente e considerada uma febre nacional, a Copa do Mundo traz diversas oportunidades a restaurantes, bares, lanchonetes, padarias e toda cadeia que atua no mercado de alimentação fora do lar. Já pensando nas estratégias que englobam o campeonato, que terá início em novembro deste ano, a Galunion, consultoria especializada no mercado de Food Service, levantou esta questão na última semana de agosto de 2022, por meio de seu call center. Como resultado, foi possível observar que 58% das representantes de redes que atuam no setor estão com planos de lançar produtos focados no evento.

Segundo a fundadora e CEO da Galunion, Simone Galante, este campeonato esportivo afeta o mercado de Food Service, pois introduz novas ocasiões de consumo para encontro com os amigos e familiares. “Em setembro deste ano, produzimos a sexta edição da pesquisa com consumidores que traz dados que evidenciam esta questão, já que 64% dos entrevistados disseram que, neste momento, o principal motivo para saírem e irem se alimentarem fora de casa é para encontro com amigos e familiares. O segundo item de motivação são os pratos e menus novos e inovadores ou que não podem ser reproduzidos em casa, que aparece na pesquisa como a preferência de 44%. E quando falamos em encontro com os amigos, isso é especialmente importante em restaurantes de serviço completo, porque também podemos falar de uma celebração, principalmente se tivermos o Brasil como finalista da competição”, explica.

Dessa forma, a pesquisa de operadores revela que muitos negócios estão pensando de forma antecipada neste evento, pois quase 60% dos ouvidos estavam planejando ter novos pratos e novidades justamente para este período, o que reforça uma positividade com relação à Copa do Mundo. Do ponto de vista da Galunion, como especialista deste mercado, a orientação é investir nisso, já que sim, as novidades são muito importantes e trazer algo que o consumidor espere, que seja algo mais interessante, é a preferência de 95% com relação às opções de alimentos e bebidas.

Se preparar para este tipo de evento pode impulsionar as vendas, principalmente em locais tradicionais para essa ocasião de consumo e encontros, que são os restaurantes com serviços de garçom, além de bares e outros estabelecimentos que conseguirem trazer uma temática para a Copa do Mundo e reverberarem as iniciativas em suas redes sociais, trazendo informações e alertando o consumidor que haverá esse tipo de conforto para que ele possa desfrutar com a companhia e da forma que desejar. “No entanto, um fator muito relevante neste momento de bolso curto é que o consumidor veja uma clara vantagem em ir a um determinado local. Portanto, as promoções são bem-vindas. A transmissão dos jogos em televisões e telões também se tornam um atrativo. Além disso, notamos que houve um esvaziamento na hora do almoço no dia a dia com a questão do trabalho híbrido. Por isso, acreditamos que nesses locais o impacto positivo pode ser bastante significativo, aumentando em até 10% ou 15% as vendas do período”, revela Galante.

Pensar nos detalhes torna-se um diferencial. Dessa forma, a decoração e a transmissão dos jogos nos estabelecimentos são ações relevantes, pois estamos falando de uma situação que engloba sair de casa e, assim, os espaços instagramáveis para fotos e postagens são importantes neste momento. Também há a questão sobre as preferências dos consumidores neste momento, já que preferem que os estabelecimentos de Food Service não reduzam qualidade dos produtos e refeições, que ofereça também pratos bons, gostosos e mais acessíveis. Ou seja, há uma oportunidade de trazer, por exemplo, porções maiores, compartilháveis e que proporcionem melhor custo-benefício.

O tempo de planejamento também é algo a ser levado em consideração. No caso de redes que precisam abastecer todo o Brasil com um produto novo, é quase obrigatório que tenham um plano traçado com certa antecedência. Ou seja, no cenário atual, tal planejamento já ocorreu certamente muitos meses atrás. Já para negócios independentes, sempre é possível pensar em algo que possa ser feito com uma ou duas semanas de antecedência, no máximo. Mas vale ressaltar que tudo que é deixado para última hora nem sempre é programado olhando para todas as oportunidades e os riscos inerentes a essa ação e ao negócio, com base em um planejamento adequado para ser desenvolvido no menor custo possível. Isso deve ser levado em conta ainda mais neste período inflacionário, pois tais projetos requerem um cuidado com relação ao que o negócio está fazendo, se trará lucratividade e contribuição de fato para o resultado final.

Ações no delivery também são valiosas

Ainda segundo dados da pesquisa de consumidores da Galunion, 80% dos clientes estão fazendo delivery ou take away. Isso quer dizer que os estabelecimentos não devem esquecer de traçar estratégias para ativar o negócio entregando produtos na casa de quem está fazendo as celebrações. “Esse é um fator bastante relevante para trazer para sua plataforma de delivery e de oferta as questões para atender o consumidor em casa ou onde quer que ele esteja. Todos que atuam no Food Service, de alguma maneira, podem se beneficiar com a Copa do Mundo, por conta desta ocasião de consumo e este momento importante no universo do brasileiro. Um fator de atenção é que se a seleção brasileira sair muito rapidamente da competição, o efeito dos benefícios à cadeia é um pouco menor, no entanto, a gente precisa ter positividade de que o time estará presente na fase final. Brasileiro adora futebol de qualquer maneira, mas sabemos que se a seleção brasileira ficar até a última etapa da competição, isso terá um efeito muito maior nas vendas”, pondera a CEO da Galunion.

Uma alternativa que contribui bastante neste caso é o aumento do uso de tecnologias. Então, os locais que podem desenvolver ou tem ferramentas para efetuar reservas também podem se dar muito melhor para garantir este momento, em que as pessoas vão comparecer e ser bem atendidas, garantindo previamente seu lugar. “A gente sabe que o setor ainda está com dificuldade de contratar mão-de-obra e, portanto, ter um bom planejamento para disponibilizar um atendimento e qualidade e ter uma boa experiência com a jornada de compra, também fará com que o consumidor volte para o seu estabelecimento em momentos fora destes sazonais, como o de Copa do Mundo. Trata-se de uma oportunidade para que os restaurantes possam colocar seus produtos ícones em destaque, oferecendo opções que farão o cliente voltar em outras ocasiões, além de indicar para amigos, familiares e conhecidos”, finaliza.

Encontre a melhor franquia para você