Modelo Store in Store da Casa do Construtor requer R$250 mil de investimento

A meta da rede de franquia para 2018 é a abertura de 50 unidades, sendo 20 já no modelo de negócio que pode ser operado em formato de quiosque dentro de outras empresas já existentes

A Casa do Construtor, rede de franquia do ramo de locação de equipamentos, completou 25 anos de mercado com 251 unidades franqueadas, além do início de um processo de  internacionalização. A meta da marca para 2018 é a abertura de 50 unidades, sendo 20 já no modelo de negócio em formato quiosque. “Este ano temos a grande alegria de anunciar a internacionalização da rede Casa do Construtor, abrindo a nossa primeira unidade em Assunção, no Paraguai”, comemora Erica Vacch, da Casa do Construtor.

Entre as novidades da marca também está o modelo de negócios “+ Rental”. É uma opção mais compacta, que segue o formato chamado Store in Store, que são ideais para aqueles empreendedores que já possuem um negócio de um ramo relacionado à Casa do Construtor como, por exemplo, um depósito de material de construção, uma marcenaria ou uma empresa de jardinagem. “Nesses espaços, os empreendedores fazem a instalação de um quiosque, que tem um investimento menor do que uma loja do que uma loja convencional. O modelo tem atraído candidato para esse modelo de negócio para o próximo ano”, aponta Vacch.

O investimento inicial do “+ Rental” refere-se à implantação de um quiosque de 12 m2 com uma área de atendimento. É menor do que uma loja convencional que precisa de uma área a partir de 300 m2 de galpão. Com o quiosque store in store.,o franqueado consegue aproveitar toda a estrutura que ele já tem, o que inclui caminhão, funcionários, energia elétrica, entre outros. O investimento para este modelo é de R$250 mil, o que inclui também o capital necessário para o estoque de máquinas e equipamentos.

Já para o modelo convencional da marca, que é de loja de rua, o valor de investimento é a partir de R$600 mil, sendo R$ 400 mil correspondem à compra de equipamentos com os fornecedores homologados pela rede e R$200 mil à taxa de franquia, o capital de giro, infraestrutura, compra de equipamentos, móveis e adequação do ponto. 

Internacionalização

A marca vem buscando novos parceiros na América do Sul para decidir o desenvolvimento do mercado internacional. “A Casa do Construtor preza pela transparência das informações e por estar muito próximo dos novos franqueados. Nós temos uma universidade corporativa que dá o seguimento após a implantação durante 90 dias até a que ele se adéque ao negócio. Isso traz um conforto maior para o franqueado e a sensação de que realmente ele tem um parceiro de negócio”, conclui Vacchi.

Confira a entrevista na íntegra:

Clique aqui e confira mais opções de franquias de Construção e Imobiliárias

Fonte: Sua Franquia - www.suafranquia.com

Encontre a melhor franquia para você