Como estão os empreendedores da geração millenial?

Muito se falou sobre como lidar com os jovens nascidos próximos à virada do século, pertencentes à Geração Y

Boa parte deles, que hoje está na faixa entre 30 e 40 anos, compõe grande parte do empresariado à frente das corporações. Conheça o perfil de 5 empresários dessa geração.

Independentes, inovadores e alheios ao estilo de vida profissional com regras tradicionais e engessadas. Essas definições sempre foram relacionadas com a Geração Y, formada por jovens na faixa dos 30 e poucos anos, que buscam propósito em tudo o que fazem, sobretudo no trabalho e no relacionamento com marcas e produtos.

Em um passado recente, a maioria dos Millennials - como também são conhecidos - eram estagiários ou davam os primeiros passos na carreira. Porém, imediatistas e ávidos por transformações, muitos buscaram desde o início desenvolver seu próprio empreendimento. Com base em experiências próprias, por exemplo a dificuldade de encontrar determinados produtos e serviços, alguns desses jovens largaram empregos tradicionais para apostar em nichos incomuns e alcançarem o sucesso no mundo dos negócios. Confira alguns desses perfis e veja quais são seus empreendimentos.

Felipe Buranello (35 anos) e Eduaro Pirré (33 anos)

A franquia Maria Brasileira, marca especializada na prestação de serviços voltados à limpeza e cuidados domésticos, iniciou sua trajetória em 2012 e se lançou ao setor de franchising no ano seguinte. Antes disso, Felipe apostou no intercâmbio para viver uma experiência pessoal e profissional, tendo a Irlanda como destino. Com perfil típico de um Millennial, ele se define como inquieto e versátil. Chegou ao país com dinheiro contado para se manter por apenas 30 dias e executou uma série de trabalhos, como cozinheiro, garçom, vendedor, caixa e até mesmo o inusitado “pedicab”, um transporte como o táxi, mas que se faz com bicicleta. A experiência o estimulou a partir para um mochilão em mais de 21 países, antes de regressar ao Brasil e ser contratado por uma rede de franquias que rendeu o primeiro contato com o setor.

Já a jornada de Eduardo começou na adolescência, em razão da carreira de executivo do pai. Acostumou-se a mudanças de cidades, o que fazia da vida da mãe um verdadeiro drama na busca por uma diarista de confiança a cada residência nova. Essa experiência negativa foi motivadora para a criação do negócio junto com Felipe. Atualmente, a rede possui 200 unidades e é líder no segmento, oferecendo cerca de 21 mil facilitadores em todo o Brasil.

Tiago Alves (32 anos)

Com a impossibilidade de sua família comprar uma bicicleta, aos 8 anos de idade, Tiago vendia picolé para adquirir a magrela. Embora seus pais fossem de classe média e tivessem um pequeno negócio em Paracatu (MG), o momento financeiro não permitia que o garoto tivesse o brinquedo. A experiência se transformou em uma virada na vida dele, que pegou gosto por ganhar dinheiro e não parou mais de trabalhar: a partir daquele momento, servente de pedreiro, office-boy na loja dos pais e funcionário de uma fábrica de sacolinhas plásticas foram algumas de suas funções, que o ajudaram a guardar a grana em uma poupança.

Aos 18 anos, Tiago cursou odontologia em uma faculdade federal, custeou os estudos e comprou seu primeiro carro. O talento para fazer dinheiro não parou por aí. Ele passou a vender produtos odontológicos aos colegas e, antes de concluir o curso, abriu sua primeira clínica com a ajuda de familiares. Com o sucesso do empreendimento, fez com que a primeira clínica fosse a base para a criação da rede de clínicas MedicMais. Em 2017, a rede faturou R$ 30 milhões e hoje acumula 80 unidades franqueadas em todo o Brasil.

Ayla Quintella (28 anos) e Tatihana Gava (36 anos)

A rede de franquias Armazém Fit Store comercializa produtos em geral para uma alimentação saudável e seu sucesso está diretamente ligado a uma dor estomacal de Ayla. Com crises de gastrite, refluxo e hérnia no estômago, ela resolveu buscar ajuda médica e, após realizar diversos exames e tratamentos, foi orientada a se alimentar melhor. Foi quando procurou uma nutricionista e mudou sua rotina de refeições, assim, com dois meses de dieta já não tinha mais crises.

Paralelamente, sua amiga e sócia Tatihana, que sonha em ser mãe, descobriu que tinha déficit de vitaminas no corpo, o que virou empecilho para atingir seu objetivo. Ao mudar seus hábitos alimentares, ambas encontraram outro obstáculo: encontrar alguns dos alimentos que precisavam, especialmente os vendidos a granel, em sua cidade, Colatina (ES). Enxergaram na dificuldade uma oportunidade e tiveram a ideia de abrir uma loja de produtos naturais no município. Somente no primeiro ano, o faturamento da loja foi de R$ 1 milhão. De lá para cá o negócio apenas expandiu e, atualmente, totaliza 32 unidades em todas as regiões brasileiras.

Stephan Geocze (40 anos)

Aliar a vida de balada ao cargo em um banco. A rotina de Stephan fazia com que suas noites se resumissem a poucas horas de sono. Porém, fez do hobby um negócio: deixou o mundo corporativo e abriu a Juca na Balada, agência de turismo focada em festas. Com apenas R$ 1 mil reais investiu na criação de domínio para o seu site, contratou um fotógrafo e começou a publicar as imagens das festas que frequentava. Logo de cara, decidiu que também venderia ingressos para festas na página.

Com o sucesso, decidiu largar o banco para seguir somente com o Juca na Balada, que conta com mais dois sócios: Fábio Salviatti e Bruno Pellegrini. Aos poucos, a empresa começou a oferecer pacotes mais completos com hospedagens e transportes inclusos e, atualmente, é uma referência no setor. Em 2017, por exemplo, vendeu mais de 18 mil pacotes e fechou o ano com um faturamento de R$ 15 milhões.

Mariane De Chiara (33 anos)

A enfermeira e funcionária pública, Mariane de Chiara, tinha uma vida financeira estável com um salário de R$ 7 mil aos 26 anos. No entanto, o convívio com as situações de precariedade no serviço público de saúde fez com que ela entrasse em depressão. Apostou na especialização em estética, após sugestão de uma amiga, e se encantou pelo segmento ao perceber que poderia fazer a diferença na vida das pessoas. Com o curso concluído, ela pediu demissão e investiu sua rescisão para abrir a Clínica Chiquetá – que custaria o dobro do que tinha na época.

Sua clínica, que começou com apenas três salas de atendimento, em 6 anos tornou-se uma das maiores do Grande ABC paulista. Com a ascensão da empresa, De Chiara uniu-se a Gerson Aguiar, fisioterapeuta e consultor de clínicas, Juliana Moura, esteticista, e Vanessa Falconi, fisioterapeuta dermato funcional, para desenvolver e lançar um método inovador de emagrecimento inteligente, o Afine-se. Atualmente, o programa está presente em mais de 900 clínicas licenciadas em todo o Brasil, quase 10 mil clientes atendidos e 89 toneladas de peso eliminadas.

 

Encontre a melhor franquia para você: Franquias por segmentos e ramos

Fonte: Assessoria - www.suafranquia.com

Encontre a melhor franquia para você