Semana do Peixe: oportunidade para setor de alimentação fora do lar investir em promoções

Enviado em 11, Set, 2017 às 10:00:00

Semana do Peixe: oportunidade para setor de alimentação fora do lar investir em promoções. Varejistas registraram aumento de 30% nas vendas do pescado no mesmo período em 2016


A 14ª Semana do Peixe teve início na sexta-feira passada e segue até o dia 15, em todo o país. O movimento busca incentivar a comercialização de pescado e frutos do mar no varejo, ampliando o conhecimento da população sobre os benefícios dessa proteína na alimentação cotidiana. Em 2016, as redes varejistas registraram aumento de 30% na venda de pescado durante a Semana do Peixe. Redes do ramo de alimentação fora do lar também devem aproveitar a oportunidade para investir em promover pratos com a iguaria.

A campanha, que conta com a participação e apoio do Sebrae, se firmou no calendário nacional e já está entre os três mais importantes períodos de venda de pescado no Brasil.  Entre as ações para o período, estão previstos eventos envolvendo a cadeia produtiva, oficinas educacionais para crianças e campanhas promocionais no varejo e alimentação fora do lar.  Para este ano, o Comitê da Cadeia Produtiva da Pesca e Aquicultura (Compesca) criou inclusive um hotsite específico destinado à distribuição de conteúdo sobre o segmento no Brasil e divulgação dos benefícios dos pescados.

Nos últimos anos, a aquicultura brasileira tem experimentado constantes transformações, consolidando-se como uma das principais atividades do agronegócio brasileiro e, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do governo federal, a produção nacional de pescado em 2014 foi de 1.326.726 toneladas, sendo que, desse total, 765.287 toneladas foram de origem da pesca, representando 57,68%; e 561.439 toneladas advindos da aquicultura, 42,31%.

O Sebrae tem atuado junto aos pequenos negócios da cadeia produtiva da piscicultura nos últimos quatro anos, com foco em quatro aspectos principais: aprimorar a qualidade do produto brasileiro, elevar os níveis de produtividade das empresas, difundir práticas ambientais sustentáveis e fortalecer a gestão desses empreendimentos.

No âmbito da gestão dos negócios de pescado, o esforço da instituição é no sentido de promover a transferência de tecnologia que permita aos donos de pequenas pisciculturas, em um cenário de crise hídrica, produzirem mais com menos água e com sustentabilidade. Sobre práticas sustentáveis, o Sebrae atua na orientação do licenciamento ambiental, já que, para a maioria dos aquicultores, a regularização ambiental é um gargalo na produção.

Nos últimos anos o Sebrae desenvolveu, em parceria com entidades estratégicas, como a Embrapa Pesca e Aquicultura, soluções para o segmento da aquicultura em âmbito nacional e a produção de material técnico sobre como comprar, armazenar e preparar peixes nativos do Brasil.

Fonte: Sebrae

 

 

Compartilhar: