Franquias de Comércio de Equipamentos e Acessórios de Motociclismo

Franquias do Ramo de Comércio de Equipamentos e Acessórios de Motociclismo valem a pena?

O varejo de artigos para motociclistas aproveita o bom momento do setor que viu a produção de motocicletas crescer 12,2%  no primeiro trimestre deste ano.

As redes do Ramo de Comércio de Equipamentos e Acessórios de Motociclismo fazem parte do segmento serviços automotivos. O número de marcas especializadas nesse ramo ainda é pequeno, mas o setor como um todo cresceu 9,2% em 2017 e bateu os R$22,921 bilhões de reais em faturamento.

O mercado de motocicletas está aquecido e o setor comemora o bom desempenho de produção no primeiro trimestre do ano. De janeiro a março deste ano, as fabricantes de motocicletas instaladas no Polo Industrial de Manaus (PIM) registraram avanço no volume com 259.537 unidades, alta de 12,2% sobre o mesmo período de 2017, quando foram fabricadas 231.381 motocicletas. Os dados são da ABRACICLO, Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares.

Em um cenário promissor como esse, marcas que se voltam para oferecer tanto acessórios como comercializar motocicletas aproveitam para lucrar.