Franquias de Carnes e Frios

Franquias do ramo de Carnes e Frios valem a pena?

O churrasco, que faz grande sucesso entre os brasileiros, com certeza contribui para o aumento do consumo de carne bovina no país. Por ano, são consumidos, em média, 26,470kg de carne bovina por pessoa, conforme a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico – OECD. E a expectativa é que 2018 feche com aumento de 2,2% no consumo de carne bovina no Brasil, tendo como base a previsão do Banco Central de que o Produto Interno Bruto (PIB) nacional irá crescer 2,7% neste ano.  Os bons números são um bom indicativo para quem pensa em investir em uma franquia que atue no Ramo de Carnes e Frios.

O cenário se torna ainda mais positivo quando se pensa no setor de alimentação como um todo, um dos mais tradicionais dentro das franquias e também um dos que mais oferece diversificação de marcas e modelos de negócio para se investir. Em constante crescimento, o setor de franquias apresentou no primeiro trimestre deste ano, um aumento de 5,1% em receita, em relação ao mesmo período de 2017. O faturamento passou de R$36,890 bilho?es para R$38,762 bilho?es. Só o setor de alimentação cresceu 6,6% em relação ao mesmo período do ano anterior e a tendência é de se manter em alta até o final de 2018.

Uma das principais dicas para quem quer se tornar um franqueado - e isso se aplica a todos os setores e ramos - é a identificação com o produto e com a marque que se está investindo. Os contratos de franquia têm em média 5 anos de duração e o novo franqueado tem que entrar no negócio se vendo naquele mercado, naquele ramo, por pelo menos os próximos 5 anos de sua vida. O empenho e gosto do franqueado em trabalhar no negócio é um dos grandes diferenciais que levam ao sucesso do empreendimento conforme explicam os grandes consultores da área.