5 motivos para investir em alimentação fora do lar

A pergunta de 1 milhão de dólares (falo dólares, pois o real está muito desvalorizado), a final o que os cliente querem? Em qual mercado devo investir? Qual é imune à crise? Espero ou invisto agora? Será que meu mercado é indescriptível?

Perguntas estas que, após anos estudando o varejo, não tem uma só resposta certa. Deixando a falta de foco de lado, gostaria de discorrer sobre cinco aspectos sobre um dos mercados que vejo como mais seguro para realizar investimentos nestes dias atuais: alimentação fora do lar.

Lar, palavra esta que nos remete a conforto, tranquilidade e segurança. Ou seja, o lugar de seu maior agrado, entretanto com as horas do dia cada vez mais curtas, fazer uma refeição em seu "lar" está ficando desafiador. Por este motivo cito abaixo cinco motivos para investir em alimentação:

1. Vida acelerada

Anos se passam e a vida vai ficando cada vez mais acelerada, muito pela quantidade de informações que recebemos de forma intensa, por vários meios de comunicação e muito pela facilidade de ir e vir, seja no meio físico ou no meio digital, com uma conectividade tão intensa que devora as horas de nossos dias. Desta forma, quem tem tempo para voltar para casa e preparar um almoço? Realidade esta, cada vez mais escassa em nossas rotinas diárias. Somando a isto o incremento de nossas mulheres no mercado de trabalho, buscar uma alimentação fora do lar é algo não só recomendado, mais também algo necessário. Portanto vemos um mercado de alimentação em crescente, com um grande potencial inexplorado pela frente. Onde o crescimento ainda terá alguns bons anos pela frente.

2. Giro rápido

Quando falamos em trabalhar com alimentação, já pensamos em como gerenciar um estoque perecível, entretanto além de isto ser desafiador, isto também se mostra muito simples. Na alimentação você não faz grandes estoques. Seu estoque dura praticamente um ou dois dias. Você tem fornecedores que te atendem diariamente em seu estabelecimento. Também não é preciso alterar o estoque de acordo com a coleção e moda do ano. Afinal, arroz e feijão nunca saem da coleção. Em caso de queda nas vendas, você "queima" seu estoque rapidamente, em caso de incremento nas vendas, você não corre o risco de ficar sem mercadoria, pois os abastecimentos são rápidos e fáceis de recorrer.

3. Recebimento à vista

Diferente de grande parte do varejo, na alimentação você recebe grande parte das vendas à vista. Hoje com o crescimento dos pagamentos eletrônicos, o débito tem sido uma das formas mais usadas, principalmente nas grandes capitais. Quando olhamos para o interior vemos o dinheiro ainda como o destaque da "festa". Cheque, boleto, parcelar você pode esquecer. O máximo na alimentação é o recebimento no cartão de crédito, que entra na sua conta em média 30 dias após, ainda podendo antecipar este recebível junto a sua operadora de cartão. Portanto, você tem um capital de giro sempre presente na sua mão e risco de inadimplência em tempos de crise é zero.

4. Mercado indestrutível

Pela tendência do cenário mundial, ao olharmos para as principais potencias do planeta, vemos que nos países de "1° mundo" a alimentação fora do lar, ainda não atingiu sua plenitude. Ainda mais quando olhamos para o potencial deste mercado em um país como o Brasil ("3° mundo"). Que além de ser cheio de problemas, também é cheio de oportunidades. Portanto podemos ter a convicção que este é um mercado que não irá se esgotar tão facilmente. Afinal, será que no futuro vamos inventar algo que substitua nossa alimentação? Não creio nisto. Por mais que tecnologia avance não creio que o Google, Apple, Uber ou outros irão nos impedir de sentar na mesa e realizar uma bela refeição.

5. Boas margens

Pois é, parece até mentira. Em um mercado hoje em que as margens estão praticamente sumindo, seja por aumento de impostos, seja por inflação no mercado financeiro ou por processos trabalhistas cada vez mais comuns na alimentação ainda conseguimos ter uma margem interessante, em comparação com outras áreas do varejo ou comparando com a indústria. Os custos dos alimentos quando comparamos com aquilo que eles rendem na panela, fazem as margens ficarem mais dilatadas. Por exemplo, 5 kg de arroz in natura, após passarem pelo processo de cozimento, rendem até 13 kg de arroz branquinho e gostoso. Desta forma o empresário consegue trabalhar melhor com sua gestão na unidade de alimentação.

Espero que estas cinco razões sirvam para te inspirar a investir na alimentação fora do lar. Entranto, já aviso que é um mercado que exige muita dedicação e atenção por parte de seu investidor, mais afinal, nos dias atuais, qual mercado não é assim né? Bons Negócios!

 

Encontre a melhor franquia para você: Franquias por segmentos e ramos
Confira mais artigos em: Gurus do Franchising

Fonte: Assessoria - www.suafranquia.com

Artigos Gustavo Freixo

5 maneiras de evitar os efeitos da crise

5 maneiras de evitar os efeitos da crise

Assusta-me dar uma volta pela cidade e ver tantos pontos com faixas “Aluga-se” ou “Queima de estoque para fechar loja”, isso me leva a pensar se...

Ver mais

Por um varejo profissional

Por um varejo profissional

“Os exemplos tem mais seguidores que a razão. Imitamos inconscientemente o que nos agrada, e aproximamo-nos sem sentir das personalidades que mais...

Ver mais

5 passos para lançar um novo produto

5 passos para lançar um novo produto

"Um mercado nunca fica saturado com um bom produto, mas fica rapidamente saturado com um produto ruim", frase esta dita por Henry Ford. Seguindo este principio...

Ver mais

Ver mais

Ver mais

Encontre a melhor franquia para você